quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Sobre Partir Para os Finalmentes

Já vai tarde quando
o adeus veio antes
Já vai tarde
quando o tempo faltou corda
entrou água
o vidro do relógio aberto
Já vai tarde
quando por insistência própria
ficou tanto quanto achava que tinha que
mas não tinha que nada
Não é dever se não infringimento
de um direito de ir-se
Tem certas coisas que valem a pena
desistir no meio:
uma frase
uma palavra
uma falsa modéstia
vergonha de dizer a verdade
enterrada num poema realmente qualquer
nunca é tarde
para calçar sapatos velhos e partir
para um novo manifesto.


Ellen Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário