sábado, 23 de janeiro de 2016

Dizer amor...

"dizer amor e
despertar o ciclo corrosivo
dos átomos, dos adeuses
dos vermes, versos
carbonos e costuras
nas comissuras dos lábios

a cidade diz: - anda rápido!
mas o sol languidesce a vontade
há sempre homens nas esquinas
- fedendo a álcool, tabasco, urina -
que capacitam os insectos para feridas
para necroses ápteras, uterinas

uma umidade imigrante
asila-se debaixo das minhas unhas
cultivo azáleas e chuvas
espinhos fêmeas
- de cor vermelha -

 no con't'ato com o mundo

uma mulher gira a saia
em sombras e sálvias
em sorrisos adulterados pela solidão
calcula o espaço
com músculos e música
é que aqui não tem mar
e a poesia vacila
entre as tíbias
possibilidades do dia."

Carla Carbatti

Nenhum comentário:

Postar um comentário