domingo, 17 de julho de 2016

impiedade

amanhece
me visto outra vez
com os segredos que nenhuma luz revela
olho algum tampouco confessa
o que refletiu
sob o sol, nada de novo
a mesma tela branca sobre a boca
cala as descobertas da noite
somente o espelho
julgador
em frente à cama
me encara no tempo seguinte
só ele sabe quantos desvelos
e a qualidade do sono
só ele me fala
sobre o que nunca quis
ter vivido
e me afirma escancarado
o que eu sempre soube.

Ellen Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário