18.1.16

Esfinge

"Não há perguntas. Selvagem
o silêncio cresce, difícil."

Orides Fontela