segunda-feira, 24 de agosto de 2015

amores homéricos

ela admira nucas informes
em viagens subterrâneas
altera diversas vezes seu trajeto
sem desviar o destino
elabora finais extraordinários
sem um timbre
ou dois acordes mitológicos

descobre nuncas
quando a porta abre
não se importa
caminha como quem ganhara
a história como se chegara
a ítaca.


Ellen Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário