quarta-feira, 8 de julho de 2015

mulher terra em transe

É frio
de trincar anseios
joanete morde meias
rasga segunda pele
dilata couro
arrebenta botas
escancara seu tamanho
(contido)
osso que faz doer
abrochar a pressa
tesa
trocar qualquer caminho
pelo esticar do dedo

Desatados os nós,
não semeia gritos

aponta:

vermelha
roxa
branca
e preta

descalça,
minha joanete é metonímia
um corpo em expansão.


Ellen Maria

2 comentários:

  1. quem não tem não sabe, mas quem não tem?

    ResponderExcluir
  2. ossatura imprevista que desafia friamente a cobertura dos pés - e a norma dos passos.

    bela onda

    beijo, cel

    ResponderExcluir