quarta-feira, 11 de março de 2015

Ciências e Letras

Vejo um poema distante
que desmorona
na mesma proporção
em que me aproximo
quando chego a um palmo dele
o poema não passa de um rastro
de um triz
de fiapo
agarrado
numa célula
de ameba
num microscópio
de um cientista renomado
ganhador do prêmio Nobel
do ano passado.

Ellen Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário