sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Música

O encontro com um, que é outro
e ao mesmo tempo conectado
não como se fossem dois
ou só um
mas como uma unidade dobrada
Sem pensar em números
ou em mitos platônicos
Mas na forma
e conteúdo
da mínima nota e metáfora
Sem jogo de palavras
somente o encontro
entre letras, lunares e miradas,
os dedos se tocam, tocam,
fazem contato
livre expressão inventada
Pausa
Volto ao ponto
rosto sério, fixo
decisão tomada
depois um sorriso
que é abrigo das tempestades
caladas
só pra dizer que fico
ou melhor dito, que vou
(passagem comprada)
só pra dizer que fico
ou melhor, repito, eu voo
(passagem comprada)
Não há mais como dormir
nem despertar
sem pensar que há no agradecimento
beijo na mão
de olhos fechados
Obrigada
cheio de graças
sem saber a duração
do desejo que hoje me cheia
semi colcheia
e ultrapassa escalas
Dando nó na rosa
dos ventos
Caminho de lado
descompassada
E mostro dentes
e sentimentos
sem medo de ser
sem medo de ser inteira
ainda que rime com nada.

(para Victor, que durou
o tempo que dura
uma canção dos Ramones)

Ellen Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário